PORTUGAL SERÁ� MELHOR

  • - se a casa de Aristides de Sousa Mendes fôr reconstruída para um projecto ligado com a sua vida
  • - se houver mais locais para pôr as mãos na massa
  • - se cada um de nós Ler +
  • - se cada um de nós respeitar os passeios como lugar de trânsito dos peões, sobretudo dos que têm menos mobilidade
  • - se for mandado para as urtigas o princí­pio, muito vulgarizado: Tudo pelos amigos, nada pelos inimigos. Aos outros aplica-se a lei. É mais simples e justo se a todos se aplicar a lei.

POR UM JORNALISMO MELHOR

Recentes

Ligações


  • Get Firefox!

quinta-feira, outubro 26, 2006

TELEJORNAIS em discussão

Atenção ao programa do provedor de televisão, no sábado à noite, depois do telejornal.

"Provedor analisa alinhamentos do Telejornal da RTP
Maria Lopes

Gabinete do provedor recebeu 60 queixas sobre a hierarquização das notícias

O provedor do telespectador da RTP vai analisar os alinhamentos de edições recentes do Telejornal no seu próximo programa, a emitir no sábado à noite. Desde o início do mês, o gabinete do provedor recebeu cerca de 60 queixas sobre "a falta de hierarquização lógica das notícias", disse ao PÚBLICO Paquete de Oliveira.
Grande parte dessas queixas são coincidentes: criticam o facto de o bloco informativo da RTP1 da noite de dia 5 de Outubro ter aberto com a notícia de um sequestro numa dependência bancária em Setúbal, a que dedicou 15m30s - "um destaque desmesurado, segundo afirmam os espectadores" - , relegando para terceiro lugar aquela que é considerada a maior manifestação de professores de sempre, e só para muito mais tarde (já passava da meia hora de Telejornal) o discurso do Presidente da República nas comemorações da implantação da República.
Como habitualmente, as queixas serão apresentadas pelos próprios telespectadores - depois de uma selecção do gabinete do provedor -, e o programa contará também com depoimentos de Francisco Rui Cádima (docente e investigador universitário na área da comunicação social e ex-presidente do Observatório da Comunicação), e de Fernando Dores Costa, historiador e professor da Universidade de Évora. O director de informação da RTP, Luís Marinho, também participa, respondendo sobre a escolha da hierarquia dos assuntos nos noticiários." No Público, hoje.