PORTUGAL SERÁ� MELHOR

  • - se a casa de Aristides de Sousa Mendes fôr reconstruída para um projecto ligado com a sua vida
  • - se houver mais locais para pôr as mãos na massa
  • - se cada um de nós Ler +
  • - se cada um de nós respeitar os passeios como lugar de trânsito dos peões, sobretudo dos que têm menos mobilidade
  • - se for mandado para as urtigas o princí­pio, muito vulgarizado: Tudo pelos amigos, nada pelos inimigos. Aos outros aplica-se a lei. É mais simples e justo se a todos se aplicar a lei.

POR UM JORNALISMO MELHOR

Recentes

Ligações


  • Get Firefox!

sexta-feira, outubro 27, 2006

DOC LISBOA 2006

DocLisboa 2006

O programa de hoje está aqui. Vale também a pena ir aqui, pelo conjunto e, sobretudo, pelo som da campainha de bicicleta.

"SEXTA, 27


11.00 Pequeno Auditório
Gambit [I]Gambit [I]
de Sabine Gisiger | 107' Suíça 2005
Em Julho de 1976, numa fábrica de substâncias químicas perto da cidade Italiana de Seveso, um reactor que produzia triclorofenol explode, libertando uma grande quantidade de dioxina, substância extremamente venenosa. Não houve baixas, mas foi evacuada uma extensa área à volta do local e muita gente contaminada. As crianças sofreram queimaduras químicas graves, 77 mil animais sucumbiram ou foram afectados. O engenheiro químico Jörg Sambeth conta a sua história: nos anos 60 começou a trabalhar com entusiasmo para a Givaudan, empresa filiada do empório Hoffmann-La Roche. Era também supervisor da fábrica perto de Seveso. Descreve a cultura da empresa, com a qual nunca se sentiu à vontade, mas cuja política jamais se atreveu a criticar, nem mesmo depois da catástrofe de Seveso, quando teve que guardar silêncio sobre a verdadeira natureza das substâncias libertadas. Foi considerado culpado e condenado a cinco anos de prisão. Quebra agora o silêncio e fala do trágico desastre.

14.30 Pequeno Auditório
Onde Jaz o Teu Sorriso? [FR]Onde Jaz o Teu Sorriso? [FR]
de Pedro Costa | 2002 Portugal/França 104'
Enquanto Danièle Huillet e Jean-Marie Straub procedem à montagem da terceira versão de "Sicília!", Pedro Costa filma uma "comédia de remontagem". Por detrás da sua paciência no trabalho, terna e violenta, os dois cineastas revelam uma certa ideia do cinema, do seu cinema e da sua vida conjugal, da vida conjugal, muito simplesmente. Pedro Costa conduz-nos ao centro do seu próprio cinema, numa viagem espácio-temporal única, oferecendo ao espectador o presente mais perfeito: participar do interior no acto de criação cinematográfica.

14.30 Grande Auditório
Entre Nós [SE]Bien Mélanger [I]
Entre Nós [SE]
filme colectivo | 30' Portugal 2006
Bien Mélanger [I]
de Nicolas Fonseca | 75' Canadá 2006
Ser estrangeiro em Portugal, ser português no estrangeiro. "Entre Nós" é o resultado do convite para a criação de pequenos filmes de três minutos subordinados ao tema da imigração feito a doze cineastas nacionais (André Godinho, Pedro Paiva, Fausto Cardoso, Tiago Afonso, Sérgio Tréfaut, Catarina Alves Costa, José Filipe Costa, Cátia Salgueiro, André Príncipe, Miguel Nogueira, Joana Neves, Leonor Noivo). A encomenda partiu da organização do Fórum Gulbenkian sobre Imigração e teve como objectivo principal, dar a ver, através destes criadores, o ponto de vista dos imigrantes sobre a nossa realidade. Já "Bien Mélanger", realizado por um canadiano luso-descendente, é um documentário sobre a identidade através da perspectiva de jovens filhos de emigrantes, designadamente os pertencentes à comunidade portuguesa no Canadá, sobre questões como a mundialização e o turismo. O filme conta ainda com os depoimentos de vários estudiosos da globalização, entre os quais encontramos Anthony Giddens.

16.30 Pequeno Auditório
Marguerite par Elle-Même [FR]Marguerite Telle Qu'en Elle-Meme [FR]
de Dominique Auvray | 61' França 2002
A 3 de Junho de 1991, Marguerite Duras ofereceu-me o seu último livro então publicado, L'amant de la Chine du Nord com uma dedicatória que dizia: "Para a minha amiga Dominique Auvray, na lembrança de uma maravilha entre todas: a de um passado ainda recente: de quando trabalhávamos juntas em cinema." Um retrato para me aproximar dela tal como era: divertida e séria, verdadeira e provocadora, atenta e categórica, mas acima de tudo jovem e livre. A realizadora deste retrato foi montadora de três filmes de Duras: Baxter, Vera Baxter (1976) , Le Camion (1977) e Le Navire Night (1979), de filmes de Philippe Garrel, de Pedro Costa, entre outros".

16.30 Grande Auditório
Neighborhood [CI]Yellow Box [CI]
Neighborhood [CI]
de Karoi Kinoshita e Allain Della Negra | 17' França 2006
Yellow Box [CI]
de Ting-fu Huang | 53' Taiwan 2006
"Yellow Box" decorre quase inteiramente no interior de uma loja envidraçada situada em Taiwan. O trânsito circula em frente à câmara. Os automobilistas param para comprar nozes de areca, um produto muito popular na Ásia que acelera o ritmo cardíaco. Para melhorar as vendas as vendedoras, que os clientes tratam por alcunhas como Honey ou Candy e que são exibidas como peixes de aquário, adoptam trajes e gestos alusivos a situações de prostituição. "Neigborhood" questiona as relações entre pessoas que partilham a mesma comunidade virtual, no caso a do jogo "The Sims", no qual encarnam vidas e personalidades alternativas ao seu quotidiano.

18.30 Pequeno Auditório
Die Bewerbung [T]Ils ne Mouraient pas Tous mais Tous Étaient Frappés [T]
Die Bewerbung [T]
de Harun Farocki | 58' Alemanha 1997
Ils ne Mouraient pas Tous mais Tous Étaient Frappés [T]
de Sophie Bruneau | 80' França 2005
Farocki sobre "Die Bewerbung" (à letra, A Entrevista): "Durante o Verão de 1996, filmámos diversos estágios de formação em que se aprendia a colocar correctamente uma candidatura de emprego. Filmámos desempregados de longa duração incentivados pelo Estado a seguir esta formação. Filmámos gerentes que, com um salário elevado, podiam pagar a um formador privado: tal qual os cidadãos livres na Grécia Antiga que se iniciavam na Retórica com um escravo doméstico. Docentes, universitários, desempregados de longa-duração, ex-toxicodependentes, gerentes de classe média, todos têm de aprender a oferecer-se, a vender-se em nome da auto-gestão". Filmado em três hospitais públicos da região parisiense, "Ils ne Mouraient pas Tous..." acompanha o trabalho de uma psicóloga e de dois médicos que recebem homens e mulheres doentes devido aos seus empregos. Todos relatam o seu sofrimento no trabalho no âmbito duma entrevista. Os três profissionais especializados escutam e diagnosticam pouco a pouco o sofrimento individual do paciente e a sua relação com as novas formas de organização do trabalho.

18.30 Grande Auditório
The Sky Is my Ceiling [CI]Kinshaza Palace [CI]
The Sky Is my Ceiling [CI]
de Keja Ho Kramer | 11' França 2006
Kinshaza Palace [CI]
de Zeka Laplaine | 75' Congo/França 2006
Em "Kinshaza Palace", filme que baralha habilmente a fronteira entre ficção e memória para construir uma investigação sobre uma família espalhada por três continentes, o realizador Zeka Laplaine põe-se no papel de Kaze, um homem que procura desesperadamente Max, o seu irmão desaparecido. Seguindo as poucas pistas de que dispõe, viaja para França, Congo e Portugal, e também para o Cambodja, na esperança de resolver o misterioso desaparecimento do irmão. "The Sky Is my Ceiling", que abre, projecta na cidade de São Paulo a concretização do cenário fantástico de um conto de J.G. Ballard.

21.00 Pequeno Auditório
Los Angeles Plays Itself [FR]Los Angeles Plays Itself [FR]
de Thom Andersen | 169' EUA 2003
"Os filmes apagam o seu rasto, deixando-nos com o que querem que vejamos, passando a outra coisa qualquer. Fazem o trabalho da nossa atenção voluntária, de modo a que tenhamos de suprimir essa faculdade enquanto assistimos a um. A nossa atenção involuntária torna-se a principal. Mas e se observarmos com a nossa atenção voluntária, em vez de nos deixarmos dirigir pelos filmes? Se podemos apreciar os documentários pelas suas qualidades dramáticas, também podemos apreciar os filmes de ficção pelas suas revelações documentais" (Thom Andersen) Um ensaio cinematográfico sobre as representações da cidade de Los Angeles no cinema, dividido em três partes: a cidade como bastidor, como personagem e como tema.

21.00 Grande Auditório
In to the Great Silence [CI]Into Great Silence [CI]
de Philip Gröning | 164' Alemanha 2005
A Grande Chartreuse, casa-mãe da lendária Ordem dos Cartuxos, está localizada nos Alpes Franceses. "Into the Great Silence" é o primeiro filme de sempre sobre a vida no interior da Grande Chartreuse. Silêncio. Repetição. Ritmo. O filme é uma aproximação austera à meditação silenciosa da vida monástica em forma pura. Sem música excepto os cânticos do mosteiro, sem entrevistas, comentário, material adicional. Um filme sobre a consciência, a presença do absoluto e a vida de homens que devotam as suas existências a Deus na forma mais pura. Contemplação. Um objecto no tempo."

1 Comments:

Blogger Palhaço do Xadrez said...

Já com conhecimento dos vencedores do DocLisboa 2006: um prémio de 500 euros para o Melhor Documentário Português de Curta Metragem "Onze burros caem de estômago vazio" é uma vergonha (tão pouco), comparado com os 4500 euros para a inarrável (de tédio) longa metragem (52min.!!) "Pintura habitada" sobre o processo criativo da artista Helena Almeida. Falando na linguagem dos protagonistas do brilhante "Onze burros...": "Do artista conceituado até o peido (já subsidiado) é premiado".

10:16 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home