PORTUGAL SERÁ� MELHOR

  • - se a casa de Aristides de Sousa Mendes fôr reconstruída para um projecto ligado com a sua vida
  • - se houver mais locais para pôr as mãos na massa
  • - se cada um de nós Ler +
  • - se cada um de nós respeitar os passeios como lugar de trânsito dos peões, sobretudo dos que têm menos mobilidade
  • - se for mandado para as urtigas o princí­pio, muito vulgarizado: Tudo pelos amigos, nada pelos inimigos. Aos outros aplica-se a lei. É mais simples e justo se a todos se aplicar a lei.

POR UM JORNALISMO MELHOR

Recentes

Arquivos

Ligações


  • Get Firefox!

domingo, agosto 28, 2011

MESTIÇAGEM

"Os estudos que se preocupam em explicar a natureza humana, experimentaram ao longo dos anais historiográficos, intrincadas barreiras. Todavia os portentos da razão sempre bateram mais forte do que os conhecimentos apriorísticos abruptos e ferrenhamente apresentados pela forte dominadora cultura cristã. Quando Franz Boas, o notável antropologista alemão, em sua magnífica produção intelectual “A Mentalidade do Homem Primitivo” proclamava as verdades sobre a natureza humana não faltaram aqueles que tentassem desacreditá-lo. Quando ele então observou que é o homem um metazoário ( grupo de animais que possuem mais de uma célula ) cujo organismo se prende, por obviedade, á série animal por uma geral afinidade de estrutura, tentaram ridicularizá-lo...."
blogdoprofessorjeovaneesquerdopata.blogspot.com

sexta-feira, agosto 19, 2011

CURRICULUM VITAE

segunda-feira, junho 27, 2011

IMAGENS DE TELEVISÃO

Um 'Big Brother' que não nos suja - Opinião - DN
Um 'Big Brother' que não nos suja - Opinião - DN

domingo, junho 26, 2011

Olhem lá, Bruxelas não era para unir? - Opinião - DN

sexta-feira, abril 15, 2011

Dois dias a escutar músicas que o Atlântico aproximou - Artes - DN

domingo, maio 02, 2010

GARGANTA DO DIABO

terça-feira, março 30, 2010

HISTÓRIAS DA IMORTALIDADE


CONFERÊNCIAS
DE SEG 5 A SEX 9 DE ABRIL
Pequeno Auditório
Entrada gratuita
Levantamento de senha de acesso 30 minutos antes do início da sessão, no limite dos lugares disponíveis. Máximo: 2 senhas por pessoa.
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt


Organização CEHFCI – Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência
Concepção Clara Pinto Correia

Ciência que vende jornais:
Sobre a Imortalidade e as suas novas roupagens
A Fonte da Eterna Juventude consta de praticamente todas as narrativas de viagem medievais, assim como a Pedra Filosofal consta de outros tantos manuais de alquimia. Temos connosco um legado riquíssimo, prático e teórico, de filtros da vida eterna e de poções de imortalidade. Nos nossos dias, acreditámos, uma vez e mais outra, e mais outra, que as grandes vitórias da ciência iam proporcionar-nos um mundo muitíssimo mais agradável, ao mesmo tempo que os milagres da medicina iam oferecer-nos uma vida longa e digna, imensamente gratificante.
Tantas desilusões mais tarde, porque é que continuamos a acreditar num mesmo sonho, que no entanto sabemos ser parte integrante de uma mitologia humana com dezenas de faces? Agora é a clonagem terapêutica com cultura de células estaminais humanas que vai rejuvenescer-nos os órgãos, são as capacidades regenerativas dos répteis ou dos crustáceos que vão ensinar-nos a recuperar intactos de acidentes que de outra forma nos tornariam tetraplégicos, é um cientista português que garante nas notícias da manhã que seremos imortais daqui a cem anos, depois é um cientista americano que afirma que um século é excesso de zelo: mais vinte anos e a imortalidade estará assegurada. Isto, obviamente, vende jornais – e, como tal, prolifera nas capas das revistas, nas páginas centrais da imprensa, nas vozes da rádio, nas entrevistas televisivas (que, significativamente, nunca são debates): esta é a ordem do dia, e quase ninguém está em paz com ela.
Viver mais anos em boa saúde? Óptimo, mas quantos anos, a que preço – e alguém pressupõe que as condições de acesso ao bem-estar vão ser as mesmas em todas as partes do mundo?
E agora, vários degraus acima, quem é que quer mesmo viver para sempre? É verdade que ninguém gosta da Morte. Mas alguém está preparado para a Eternidade? O ciclo de conferências Histórias da Imortalidade lida com todas estas questões, dos desenvolvimentos científicos aos enquadramentos religiosos.
Clara Pinto Correia



Seg 5 de Abril
17h00 A imortalidade nas religiões do mundo
Paulo Mendes Pinto · Universidade Lusófona
18h30 Viver para sempre, moda e credulidade
Clara Pinto Correia · Universidade Lusófona, Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência



Ter 6 de Abril
17h00 Imortalidade na Idade Média
Ana Maria Rodrigues · Universidade de Lisboa
18h30 A imortalidade na mundividência cristã
Peter Stilwell · Universidade Católica



Qua 7 de Abril
17h00 O Presente é a Eternidade:
a imortalidade na cultura popular urbana
Rui Trindade · Lic. em História, tem sobretudo trabalhado em comunicação, quer no jornalismo, quer na produção de eventos
18h30 Evolução e Imortalidade
Teresa Avelar · Universidade Lusófona



Qui 8 de Abril
17h00 Vida, Morte, Ciência e Tecnologia
Jorge Marques da Silva · Universidade de Lisboa, Fac. de Ciências
18h30 As tradições são imor(t)ais
José Ramalho · actor, marionetista, encenador; colaborador
do Instituto de Estudos de Literatura Tradicional
da Universidade de Lisboa



Sex 9 de Abril
17h00 Vida – Contrariar a Morte
Eduardo Crespo · Universidade Lisboa, Fac. Ciências
18h00 Cancer from Nixon to Obama: America’s Longest War
Dominic Poccia · Amherst College, Massachusetts, EUA
Conferência em inglês, sem tradução.

© 2010 Culturgest